sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Beijo guardado


Na colina da esperança
sinto o teu cheiro no ar
e o sorriso de criança
já adivinha a festança
de saber estares a chegar

Em teus braços eu sou pluma
que te embala e acaricia
vai e volta e se esfuma
faz tudo e coisa nenhuma
como o coração sentencia

A distancia é já menor
a fragancia não engana
se eu fosse compositor
escreveria em teu louvor
no mais completo nirvana

Os meus olhos ansiosos
sabem que já estás perto
se já eram buliçosos
estão enormes, luminosos
p'ra te ver a descoberto

Sei que sou o teu destino
ninguém me tira daqui
quando chegares, qual bambino
dar-te-ei o genuino
beijo, que guardo p'ra ti.



2 comentários:

Sanches disse...

Belissímo poema, meu caro.
O mais doce beijo guardado para a mais bela das damas, maravilha.

Abraços do Sanches.

Luís disse...

Obrigado Poeta Sanches, também gostei muito de ler alguns poemas seus.
Um grande abraço
Gaspat Silva